Pai de primeira viagem – 6 Dicas e cuidados essenciais

Assim como o que acontece com as mamães de primeira viagem, os papais também podem ficar apreensivos, ansiosos e preocupados com a chegada do seu primeiro filho. Esse é um tempo que inevitavelmente vai trazer algumas incertezas e inseguranças, mas isso não pode afetar a transformadora experiência da paternidade.

Para isso, o segredo é estudar bastante e se preparar para os aspectos do processo que podem ser controlados. É justamente isso que este post do Blog da Brandili vai abordar – se você quer ver algumas dicas e cuidados essenciais relacionados às primeiras experiências paternas, acompanhe a leitura!

1. Conversar diariamente com seu filho(a)

Sabia que 53% dos homens conversam com o seu filho somente a partir do sexto mês de gravidez da mamãe? Depois que a adrenalina da notícia passa, aquela ansiedade de falar, interagir e conhecer o bebê pode ser ofuscada pelo medo do planejamento financeiro e pelas obrigações cotidianas.

Uma concepção que muitos pais têm é que, com a chegada do seu primeiro filho, o seu principal dever é trabalhar muito para proporcionar tudo do bom e do melhor para a família. Esse pensamento é bem intencionado, mas pode acabar gerando aquelas preocupações em demasia e te desviando dos momentos deliciosos da paternidade.

Ao invés disso, foque em se conectar com o bebê desde os primeiros momentos de sua existência – a paz que o seu filho pode te trazer é como uma cura das questões mundanas que nos afligem e ainda é excelente para que a criança desenvolva uma conexão com a sua voz.

Por isso, não economize as palavras! Converse com o seu filho sobre como foi o seu dia, como estão as expectativas do lado de fora da barriga, os avanços que fizeram no quartinho, as técnicas para fazê-lo dormir a noite que tem aprendido, as fraldas que compraram e todos os outros assuntos aleatórios que surgirem.

homem abraçado com uma mulher grávida segurando sapatos de crochê

2. Compartilhar as responsabilidades igualmente

Esse cuidado é bem intuitivo, porém, é sempre produtivo ressaltar a importância de dividir todos os trabalhos do lar de maneira igual. Um dos principais mitos que circulam na maternidade é o de que os pais estão fazendo favores ao trocar as fraldas, preparar a papinha ou acordar de madrugada para cuidar do bebê, o que é completamente irreal.

Os pais são tão responsáveis pelo cuidado e atenção com o filho quanto as mães, então nada mais justo do que fazer uma separação ‘metade-metade’ das tarefas. Para fazer isso, é necessário mentalizar que a maternidade/paternidade não é uma vocação inata, e sim uma construção diária de comprometimentos e esforços.

Se você não assumir a sua parte desse papel, a sua esposa, que já está fragilizada pelas mudanças hormonais e corporais drásticas da gestação, logo passará por um doloroso esgotamento físico e mental, o que é uma das grandes causas da temida depressão pós-parto.

Logo, lembre-se de que está no mesmo time da sua companheira e que deve contribuir com os mesmos esforços.

homem e mulher cozinhando

3. Atender e regular as visitas

O nascimento do bebê desperta uma empolgação sem igual nos amigos e familiares, que logo desejam ansiosamente conhecer o pequeno ou a pequena. No entanto, se fosse só isso seria bom: em alguns casos de inocência ou falta de créditos, eles até chegam a oferecer palpites indesejados aos novos pais.

Principalmente no primeiro mês do recém nascido, é essencial que você proteja a sua família de visitas em demasia. Seja para evitar contatos externos com o organismo frágil do bebê ou para poupar que a mamãe tenha que escutar opiniões sobre o seu processo de maternidade, tente ao máximo regular as companhias e promover o tão necessário período de quietude e descanso que eles precisam.

4. Colocar músicas

Essa é uma dica de grande valor para os papais de primeira viagem! Você pode entender mais sobre isso no nosso post sobre o assunto, mas saiba que a música é um estímulo excelente para o desenvolvimento dos bebês, pois as melodias trabalham as suas capacidades motoras, perceptivas, emocionais e cognitivas – além de relaxar todo mundo da casa, claro!

bebê vestindo blusa de manga longo vermelha com fone de ouvido

5. Fazer parte do processo de alimentação do bebê

A amamentação é emocionante de se observar, pois é possível perceber a conexão sem igual que é estabelecida entre a mãe e o bebê. Os pais podem não amamentar, mas isso não quer dizer que não podem fazer parte desse processo de alimentação: você pode segurar o bebê no colo, dar a mamadeira com leite materno ou fórmula e colocá-lo para arrotar depois.

Além de oferecer um momento de descanso valiosíssimo para a mamãe, você também estará criando um vínculo inquebrável com o seu filhote.

Aliás, se você tiver alguma dúvida sobre o aleitamento, que tal aprender sobre e auxiliar melhor a mamãe no processo? Clique aqui e confira um guia completo sobre o processo de amamentação.

6. Adaptar a sua rotina

Não há dúvidas de que a vida continua depois do nascimento de um filho, entretanto, ela deve sim passar por algumas evoluções.

Os papais logo percebem que precisam aprender a usar o sling para carregar o bebê a todo lugar, conhecer os alimentos que causam cólicas e evitá-los nas refeições com os pequenos, tornar os cantinhos e tomadas da casa “baby proof” e outras medidas similares.

Essas adaptações na rotina têm um papel fundamental e podem exigir esforços bem maiores, então veja como garantir a sua licença paternidade e aproveite para exercer a prática das dicas e cuidados deste post!

Escrito por Equipe Brandili

A Brandili é muito mais do que uma fábrica de roupas, é uma empresa que trabalha com amor, carinho e muita dedicação.

Comente!

Assuntos Relacionados