Início » Maternidade » O que é sling? Entenda para que serve e os benefícios

O que é sling? Entenda para que serve e os benefícios

O sling, baby sling ou canguru é um tipo de carregador de bebês que é famoso por ser prático, libertador e intimista.

Os modelos atuais consistem em um pano de aproximadamente 2 metros, unido por duas argolas, mas o sling sempre existiu na maternidade tradicional.

Povos andinos, indígenas e africanos carregavam os seus bebês dessa forma há séculos, pois é um método que permite uma conexão maior com o bebê e mais possibilidades de movimento a quem o segura.

Bem interessante, né? Neste post, nós, do Blog da Brandili, vamos te ensinar tudo sobre esse acessório essencial para a mala da maternidade. Acompanhe e tire as suas dúvidas!

Para que serve o sling?

O sling serve para que a mamãe e o papai possam segurar e transportar o bebê junto ao seu corpo enquanto fazem tarefas domésticas, caminham, trabalham, comem, etc.

Além de aumentar as possibilidades de movimentação da pessoa que carrega a criança, esse acessório permite que os bebês fiquem em posições confortáveis e anatomicamente adequadas.

Ou seja, o sling é incrível tanto para os pequenos quanto para os seus pais. Ainda mais que os recém-nascidos não conseguem sustentar a sua cabeça até o terceiro mês, então esse apoio se torna essencial.

Leia também – Fim da licença maternidade: 6 dicas para lidar com a fase

Quais são os benefícios do sling?

  • Fortalece o vínculo entre a mãe/pai e o bebê;
  • Acalma a criança, que pode ouvir as batidas do seu coração e sentir o seu cheiro;
  • Deixa pais e mães com as mãos livres enquanto seguram o pequeno;
  • Possibilita que o bebê fique em uma posição vertical depois de mamar;
  • Você pode perceber as necessidades da criança rapidamente, já que ela está bem pertinho;
  • Protege o bebê contra infecções, pois o seu rostinho fica menos exposto;
  • Como o peso da criança fica distribuído, os pais não ficam com o braço dolorido e a coluna torta;
  • Evita o ato trabalhoso de empurrar o carrinho por escadas ou calçadas com buracos;
  • Cólicas e refluxos são aliviados com a posição vertical e o calor do corpo.

Quando começar a usar o sling?

Atualmente, não há um consenso médico sobre o período em que o bebê pode começar a usar o sling. Contudo, levando em conta que essa é uma prática milenar que não possui muitas contraindicações, você pode considerar o sling desde o primeiro mês.

É claro que estudos, pesquisas e consultas pediátricas devem ser feitas antes de iniciar o seu uso. Ah, e os próprios fabricantes dos slings inserem informações sobre a faixa etária indicada no produto.

Garanta que o carregador esteja bem ajustado e seguro (sem deixar o bebê sufocado) e pode começar a aproveitar os vários benefícios do acessório.

Quais são os tipos de sling?

Por mais que o conceito do sling seja composto por apenas um tecido e suas argolas, o acessório já ganhou várias reinvenções no mercado atual. Confira as principais:

1. Wrap Sling

Wrap é um verbo em inglês que significa ‘enrolar’ e ‘envolver’, o que já dá pistas sobre como esse sling funciona. O Wrap Sling é um pedaço de tecido bem grande (pode chegar a 5 metros) que é usado para enrolar o bebê no corpo da mãe/pai.

Pode ser confeccionado com diferentes materiais: a malha é recomendada para bebês com até 8 quilos e é bem maleável, enquanto o algodão e outros tecidos estruturados podem ser usados por crianças com até 20 quilos e são mais duráveis.

A regra básica é que, quanto maior a gramatura da fibra, maior será o conforto sentido pelo adulto durante o uso do sling.

Uma desvantagem do Wrap Sling é a sua colocação elaborada. É preciso conhecer alguns métodos de amarração (há vários tutoriais no Youtube) e testá-los até encontrar um que se adeque bem a você e seu bebê.

Outro ponto importante é que, como leva um tempo significativo para ser colocado, só vale a pena usar o Wrap Sling se estiver planejando ficar com a criança no colo por longos períodos.

Caso decida por esse modelo, o bebê deve ficar como se estivesse sentado, com as perninhas para fora.

Mulher segura seu bebê com um Wrap Sling

2. Ring Sling (Sling de Argola)

Fácil de transportar, leve e ajustável, o Ring Sling é uma opção coringa que salva as mamães de primeira viagem que não se acostumaram com os complexos métodos de amarração.

Ele vem com duas argolas que devem ficar na altura dos ombros do cuidador e que permitem um ajuste prático do tecido conforme o tamanho do bebê e as posições escolhidas.

Só tome cuidado com um detalhe: como oferece um apoio unilateral, o Sling de Argola não distribui perfeitamente o peso do bebê e acaba sobrecarregando um dos ombros se utilizado por muito tempo.

Por isso, procure usar somente por poucos minutos com crianças que pesam menos de 20 quilos.

Mãe segurando seu filho em um sling de argola

3. Mei Tai

União entre um carregador Wrap Sling tradicional e uma mochila, o Mei Tai segura o bebê de forma sentada, com a barriga encostada na barriga/costas do adulto e os joelhos flexionados.

Não possui travas e regulagens, mas tem uma base mais larga que apoia a coluna do bebê de uma forma bem confortável. É amarrado no cuidador por meio de faixas de tecido que passam pela cintura e pelos ombros.

Como vantagem, há o fato de que o Mei Tai distribui bem o peso do bebê. Como ponto negativo, considere que é necessário um certo nível de habilidade para conseguir vesti-lo.

Mulher segura bebê em um sling Mei Tai

4. Rebozo

Comumente usado por doulas (parteiras) para diminuir as dores das contrações, o Rebozo ainda funciona como um carregador de bebês de até 20 quilos.

Seu tecido costuma ser menor, com cerca de 2 metros, então exige amarrações mais descomplicadas que outros tipos de sling.

É um acessório 4 em 1: auxilia na hora do parto, serve como cobertor, pode ser usado como xale e ainda carrega o bebê.

Para todos os slings, é importante checar periodicamente se o produto está ficando deformado, esticado e/ou rasgado. Caso note qualquer sinal assim, compre um carregador novo para garantir a segurança da criança.

Como escolher o sling?

De acordo com vários especialistas, os Wrap Slings e outros carregadores inteiramente de tecido são os melhores, pois permitem posturas mais corretas e garantem o conforto do bebê em posições variadas.

O tecido mais indicado é o algodão, mas há também outros de fibras naturais que não impedem a transpiração da criança. Considerando o calor típico do Brasil, esse fator é essencial.

No entanto, não há uma fórmula mágica para escolher o sling: como acontece com todo item da lista de enxoval, um produto que funciona muito bem para uma mamãe pode ser completamente inútil para outra.

A nossa recomendação é buscar feedbacks de pessoas próximas a você que já utilizaram os slings e, claro, testar diferentes modelos até encontrar o ideal.

Leia também – Terror noturno infantil: o que é, sintomas e o que fazer

É seguro usar sling?

Sim! Quando amarrados da forma correta, os slings são totalmente seguros para o bebê. Pode ficar tranquila, mamãe: o seu pequeno não vai ficar superaquecido ou “amassado”.

Se estiver se sentindo pouco confiante sobre esses pontos, lembre-se de que a criança estará – literalmente – bem debaixo de seus olhos, no caso dos modelos frontais.

E mesmo com as opções de carregadores traseiros, é bem fácil conferir se o bebê está confortável ou não. Aposte nesse acessório e aproveite os benefícios. 🙂

Outros conteúdos que podem te interessar:

5 Coisas úteis para bebê que você não pode deixar de fora do enxoval

Ansiedade na gravidez: 6 dicas para superar os sintomas

Avalie este post
Compartilhe:
Equipe Brandili

Autor: Brandili

A Brandili é muito mais do que uma fábrica de roupas, é uma empresa que trabalha com amor, carinho e muita dedicação.

Deixe um comentário