O guia para mãe de primeira viagem: tudo sobre maternidade

A tarefa de ser mãe de primeira viagem pode ser assustadora e desafiante, mas se informar sobre todas as etapas da gestação e dos cuidados imprescindíveis que o recém-nascido precisa são fatores que contribuem para acalmar o coração das mamães novatas.

Nós, do blog da Brandili, preparamos um guia para que você saiba lidar com as situações que a maternidade real proporciona para a vida da mulher de maneira mais tranquila.

Com as dicas que trouxemos hoje, você terá mais confiança para identificar os mitos da maternidade e ser mais consciente sobre as transformações que seu corpo e o do bebê sofrem durante a gestação e após o parto.

Ficou interessada? Continue a leitura e entenda como a maternidade é diferente para cada mulher, tornando cada gestação uma experiência singular!

O que uma grávida de primeira viagem precisa saber?

Os principais tópicos que a mãe de primeira viagem deve compreender junto com o auxílio médico e o apoio da família são as etapas da gestação, o cronograma do parto, os cuidados necessários nos primeiros meses de vida da criança e a criação de uma nova rotina que seja saudável para o estado físico e mental da mulher.

Considerando que desde o início da gravidez, como a fase dos sintomas, cada mulher vive quadros clínicos diferentes, é preciso que você fique atenta às reações que seu corpo demonstra durante todo esse tempo.

Por isso, é importante que a mãe de primeira viagem evite se comparar com a condição gestacional de outras mamães e se concentre em seu próprio ritmo. Entenda como fazer isso com as seguintes dicas:

1) Faça o Pré-natal

O pré-natal consiste em uma série de consultas e exames requisitados pelo profissional da obstetrícia, especialista médico que atua pela saúde da gestante. Ou seja, é o primeiro passo que você precisa cumprir! Com os resultados do pré-natal, tanto a mamãe quanto o médico, conseguem monitorar a evolução da gestação.

O pré-natal ajuda a identificar possíveis problemas que podem prejudicar o desenvolvimento do bebê, o andamento do parto ou a saúde da mulher.

Esse tipo de monitoramento é essencial para que a gravidez aconteça conforme o esperado e, quando há necessidade de tratamento, que a intervenção médica ocorra de forma preventiva!

2) Alimente-se bem

Lembre-se de que agora você tem duas responsabilidades: cuidar do seu próprio corpo e garantir que ele também seja capaz de ofertar os nutrientes que o feto precisa para crescer. Além de manter uma rotina de hidratação durante o dia todo, é importante que a sua dieta alimentar seja composta por diferentes tipos de legumes, verduras, frutas e proteínas!

Com a orientação do médico, a mãe de primeira viagem pode fazer uso de complexos vitamínicos e outros tipos de suplementação para evitar complicações na gestação como a hipertensão, por exemplo.

3) Defina seu plano de parto

O plano de parto é o cronograma que guiará a equipe médica para cumprir com as vontades da mãe sobre como ela gostaria que o parto fosse feito. Para decidir se você opta por um parto natural ou parto cesárea, tire suas dúvidas sobre o assunto com seu obstetra e busque mais informações em fontes seguras e confiáveis.

Ao se planejar para o momento da chegada do seu pequeno, você se sentirá mais no controle da situação. Contudo, é importante que a mamãe entenda que o plano de parto precisa ser flexível e não se frustre caso o médico responsável pelo procedimento tome uma decisão diferente do que ela planejou para que o parto seja mais seguro.

O mais importante é se organizar para evitar uma tensão excessiva e não se sobrecarregar no último mês da gravidez. Além do plano de parto, a dica de organização também inclui o preparo da bolsa que você levará para a maternidade. Sobre isso, indicamos a leitura do post “O que levar para a maternidade – Lista com os 16 itens essenciais“.

4) Informe-se sobre vacinação para gestantes

O Ministério da Saúde, prevê por meio do Programa Nacional de Imunização (PNI), quais vacinas a gestante pode ou não tomar. Manter a sua carteira de vacinação em dia é vital para que o sistema imunológico do seu bebê também seja capaz de se defender contra certas doenças. Em caso de dúvidas, consulte seu médico antes de se vacinar!

5) Crie uma rede de apoio para o período pós-parto

A gravidez é um momento importante para toda a família, logo todos os membros desempenham um papel importante no cuidado da criança. Não tenha medo ou vergonha de pedir ajuda, principalmente no período após o parto conhecido como puerpério.

Conte com seus familiares e amigos para te ajudar com os cuidados do bebê, delegue funções e aproveite para ter um tempinho só para você!

6) Estude sobre as necessidades básicas do seu bebê

A maternidade gera um mundo de novidades, tanto para as mães quanto para os recém-nascidos! A conexão entre vocês irá se fortalecer com o tempo e você aprenderá aos poucos a reconhecer o significado de cada sinal feito pela criança enquanto ela não sabe se comunicar verbalmente.

Confira quais situações requerem maior atenção das mamães, sejam de primeira viagem ou não:

Banho no recém-nascido

Para prevenir acidentes durante o banho ou prejudicar a pele delicada do bebê, você deve se atentar às seguintes dicas:

  • Dê banho uma vez ao dia com sabonete glicerinado. Caso haja necessidade de mais uma vez, use apenas água;
  • Não utilize produtos de banho com fragrância;
  • Não saia de perto do bebê durante o banho e segure-o firmemente com uma das mãos para que ele não escorregue e se afogue na banheira.

Troca de fralda

Você sabia que bebês com um mês de vida podem sujar até 12 fraldas diariamente? Pois é, uma informação importante para que você se mantenha alerta e evite deixar a criança com a fralda suja por longos períodos de tempo.

Como consequência, a pele daquela região pode ficar irritada e gerar assaduras doloridas no bebê. Crie o hábito de verificar com frequência a fralda do seu pequeno e use pomada na área da virilha do neném no momento de trocá-la.

Coto Umbilical

Você perceberá que um pedaço do cordão umbilical, chamado de coto umbilical, ficou na região da barriga da criança após o parto. Esse tecido de pele se soltará naturalmente entre o sétimo e décimo quinto dia de vida do bebê.

Para garantir que esse processo aconteça da maneira correta, a mãe deve higienizar o local com álcool 70% quando for trocar a fralda. Você também pode lavar apenas com água limpa, se preferir, e assegurar que a pele da região fique bem sequinha antes de vestir a criança.

Cólicas

Nos primeiros quatro meses de vida, é considerado normal que os bebês sintam cólicas, uma vez que o processo de digestão da criança está amadurecendo. O sofrimento do neném pode ser diminuído com massagens na barriga, compressas mornas e movimentação das perninhas para auxiliar na eliminação de gases, por exemplo.

Geralmente, as cólicas são um dos motivos mais comuns que levam a criança ao choro e deixam os papais aflitos. Com o passar do tempo, você aprenderá a reconhecer os diferentes tipos de choros e saberá se o seu neném está com fome, sentindo cólica, carência ou frio.

Soluços

A causa dos soluços em bebês normalmente está associada ao ar que é sugado quando o neném está mamando ou se a temperatura ambiente muda drasticamente. Para auxiliar o bebê a lidar com isso, você pode segurá-lo na posição vertical até que o soluço pare. Caso persista, informe ao pediatra do seu filho!

Arrotos

Na criação da sua nova rotina como mãe, é importante que você estimule o arroto do bebê após a amamentação. Essa prática ajuda na prevenção de soluços, refluxos e cólicas. O procedimento é simples: apoie o corpinho do bebê em você e, caso a criança adormeça, certifique-se de colocá-la no berço com a barriga voltada para cima.

Uso de produtos infantil

Saber exatamente o que comprar para o bebê é uma dúvida complexa que sempre ronda a cabeça da mãe de primeira viagem. A lista de enxoval deve abranger produtos de higiene imprescindíveis nos cuidados e proteção da criança.

Se quiser saber mais sobre o tema, leia nosso post sobre o que é necessário comprar antes do nascimento do seu neném!

Desenvolvimento Infantil

Acompanhar o crescimento do pequeno é uma oportunidade incrível para mamães e papais. Além de viver momentos importantes de conexão com eles, a observação constante da criança e a puericultura permite à mãe entender se o desenvolvimento da criança segue o que é esperado para a idade dela.

Junto com o pediatra, o monitoramento da evolução da coordenação motora fina, por exemplo, ajuda a adequar as atividades do bebê para que o seu desenvolvimento aconteça de maneira mais saudável.

7) Dê tempo para reconhecer o seu próprio corpo

A maternidade pode parecer uma montanha russa de emoções! Além da grande variação hormonal que o corpo da mulher produz durante e após a gravidez, o compromisso de ser mãe pode pesar no lado emocional, por isso, crie momentos de relaxamento.

Aprenda a enxergar a nova condição de normalidade que essa fase de vida te proporciona nos aspectos psicológico e físico. Mães também precisam de cuidado, também adoecem e também possuem vontades próprias, logo é essencial que você seja gentil consigo mesma e tenha paciência com o seu novo ritmo.

Amamentação

O aleitamento materno gera diversas dúvidas na mulher, principalmente naquelas que anseiam demais por esse contato com o bebê. Aproveite as consultas com seu médico para sanar seus questionamentos e aprender técnicas que facilitam a pega correta do seio pelo bebê, que precisa abocanhar a aréola da mama para não machucar o mamilo da mãe.

8) Não tenha medo de impor limites

Palpites e visitas inesperadas podem ser um problema que a mãe de primeira viagem precisará aprender a lidar com transparência. Ouvir a experiência de outras mães é uma forma de aprender novas dicas para a criação do seu filho, contudo, você não é obrigada a aceitar qualquer tipo de palpite.

Da mesma maneira, saiba impor limites no número de visitas que desejam conhecer o recém-chegado. A animação da família pode esperar enquanto você se recupera e fortalece o vínculo materno com o bebê!

Depois dessa longa leitura, é interessante que você não se esqueça que a maneira certa de ser mãe de primeira viagem é construída aos poucos, com paciência e pelas suas próprias experiências. Cada maternidade é única, assim como você!

Se curtiu esse conteúdo, continue acompanhando o blog da Brandili! Abordamos temas sobre maternidade, brincadeiras e moda infantil, aproveite!

Escrito por Equipe Brandili

A Brandili é muito mais do que uma fábrica de roupas, é uma empresa que trabalha com amor, carinho e muita dedicação.

Comente!

Assuntos Relacionados