Início » Brincadeiras e jogos » 10 brincadeiras para dentro do apartamento: saia do tédio!

10 brincadeiras para dentro do apartamento: saia do tédio!

Do que as crianças podem brincar dentro de um apartamento? Essa é uma pergunta que os pais tentam encontrar novas respostas constantemente. Afinal, não queremos que eles passem o dia inteiro em frente às telas, não é mesmo?

Então, temos uma boa notícia: isso não é tudo que os pequenos pode fazer dentro do apê.

Morar em um apartamento não limita a diversão. Pelo contrário! Isso faz nascer diversas oportunidades de brincadeiras novas e diferentes das comuns. Quer conferir algumas ideias?

Acompanhe o post e veja as melhores brincadeiras para fazer dentro do apartamento!

1. Trovadores: contações de histórias fabulosas

A contação de histórias é uma brincadeira democrática e que pode ser feita em qualquer ambiente. São duas maneiras:

Ambas são riquíssimas fontes de aprendizado, tanto para o desenvolvimento da linguagem infantil quanto para a imaginação. Seja como for, o importante é soltar a imaginação e colocar em prática todo o gene artístico da família.

Ensine as crianças a criar vozes de acordo com a personagem, fazer mímicas e gesticular. Assim, a brincadeira fica mais envolvente e o apê torna-se um mundo encantado.

Menina loira com pijama xadrez lê livro sorrindo dentro de sua cabaninha.

2. Stop!

O Stop! é uma brincadeira antiga que testa conhecimentos gerais independentemente da época, além de colocar à prova a memória, velocidade de escrita, criatividade e capacidade de argumentação (E aí, gelo é cor?).

A discussão começa na definição dos temas. Embora pareça uma decisão simples, um tema pode influenciar diretamente na pontuação — vai que o amiguinho é um expert.

3. Strike

Qualquer espaço em linha reta pode virar uma pista de boliche repleta de diversão! Para isso, utilize garrafas de plástico, embalagens de shampoo e condicionadores ou rolos de papel A4 como pinos.

Já a bola de boliche pode ser feita com meia ou uma bolinha emprestada do cachorro da família. Pronto! Agora é só organizar os “pinos” em uma pirâmide e testar a mira.

4. Cabo de guerra

O cabo de guerra é uma brincadeira clássica das colônias infantis de férias. A ideia é básica: quem for mais forte, vence!

Algumas mamães podem ficar com medo dos pequenos se machucarem, mas para evitar essa situação, basta forrar o chão com colchões, travesseiros e edredons fofinhos.

Para brincar, pegue um lençol e dê um nó ou amarre uma fita para estabelecer o meio. Cada criança deve pegar uma ponta e começar a puxar. Aquela que trouxer o nó (ou fitinha) para o seu território, vence.

5. Cabana em casa com muitos cobertores

Montar uma cabana em casa é um verdadeiro desafio. Como deixá-la mais alta? Como fazer as paredes pararem em pé? Como criar uma portinha que funcione?

Bom, essas dúvidas surgirão durante a montagem, mas não é nada preocupante. Deixe que os pequenos quebrem a cabeça imaginando como deixar a casinha parecida com a de seus desenhos preferidos.

Dentro da cabana, coloque travesseiros, jogos e leve alguns lanchinhos. Essa atividade vai contribuir para o desenvolvimento da imaginação, criatividade e noção espacial do seu filho(a).

Pai, mãe e filha brincam de cabana com luzes em casa.

6. Caça ao tesouro

Diretamente das brincadeiras tradicionais da Páscoa, temos a caça ao tesouro! A diversão está em desvendar enigmas como um detetive e explorar o apartamento com a bravura de um pirata.

Há duas formas diferentes de brincar:

  • Espalhar pistas pelo apartamento em locais bem escondidos;
  • Montar uma lista de objetos diferentes para “caçar”.

Aproveite para colocar o conhecimento das crianças à prova: para as crianças na fase dos 2 anos ou mais, peça para que busquem tesouros com texturas, cores e formatos diferentes. É um verdadeiro teste de observação, raciocínio, lógica, atenção e memória.

7. Crianças 007

É hora de um salto do desenvolvimento infantil: iremos testar a concentração, flexibilidade, pensamento estratégico e controle emocional. Será que seu pequeno seria um bom espião? Vamos descobrir.

Amarre barbantes como uma teia de aranha e coloque um prêmio ao final dela. O desafio é pegar o prêmio sem encostar nos barbantes, que representam, na verdade, lasers.

A diversão é garantida para a família toda! Afinal, todo mundo pode tentar ser um 007 em casa.

8. Bola ao cesto

Que tal fazer tarefas domésticas com diversão? O jogo bola ao cesto pode ser substituído facilmente por “roupa suja ao cesto”, “brinquedos do meio da casa ao cesto”,”louça limpa ao armário”… Opa! Essa já é outra brincadeira, rs.

O objetivo é acertar o cesto com algum objeto e quem fizer isso mais vezes, vence!

Depois do trabalho doméstico, comece a usar bolinhas de piscina infantil, meia, tênis ou pingue-pongue para o jogo bola ao cesto. Conforme as crianças forem acertando, aumente a distancia. E aí, você aceita o desafio?

9. Mímica

A mímica é a maior representação da comunicação não-verbal. Sem falar nem uma palavra, o artista se expressa com o corpo, sejam movimentos, posições ou caretas.

A mímica é uma fonte riquíssima para desenvolvimento criativo e coordenação motora fina, além de aprimorar a capacidade de interpretação, observação, reconhecimento e associação de ideias.

No começo, faça imitações dos próprios familiares e vá aumentando o nível de dificuldade com temas específicos (animais, comidas, filmes etc.).

10. Jogos de cartas e tabuleiros

Através de desenhos, objetivos fabulosos e narrativas do mundo das fantasias, as cartas e tabuleiros tornam-se puro entretenimento infantil.

Os pequenos aprendem a lidar estrategicamente com o oponente e o que fazer para ganhar. Para isso se consolidar, não dê todas as dicas de bandeja. Espere que eles pensem sozinhos. Depois, dê conselhos pontuais. Assim, eles aprendem a pensar analiticamente.

UNO, memória, jogo da vida e dominó estão entre os jogos mais famosos da criançada. Se seu filho é fã de aventuras, ele amará também!

Ao brincar, os pequenos estimulam a imaginação e a criatividade, exercitam a paciência e o controle sobre as próprias emoções.

Além disso, os jogos contribuem ativamente com o desenvolvimento cognitivo e motor, raciocínio, sensorialidade, visão estratégia, entre outras funções.

Professora e quatro alunos analisam atividade com cores no chão da sala de aula.

Com as possibilidades que listamos, brincar no apartamento é quase uma atividade terapêutica! Outra brincadeira bem interessante é fazer slime. É tão legal que temos um conteúdo apenas sobre ele: clique aqui e divirta-se.

Avalie este post
Compartilhe:
Jefferson Back

Autor: Jefferson Back

Graduado em Publicidade e Propaganda pela Unisociesc Blumenau, atua no universo digital há quase dez anos. Pós-graduando em Neuromarketing e Brandsense pela Universidade do Vale do Itajaí (Univali), é fascinado pelo mundo da comunicação e comportamento humano.

Deixe um comentário