Início » Gravidez » O que é doula? Descubra a sua importância no parto

O que é doula? Descubra a sua importância no parto

A doula é a profissional que orienta a mamãe nos momentos antes, durante e depois do parto. Ela oferece conforto emocional, encoraja, tranquiliza e dá o suporte necessário para que a criança chegue ao mundo e encontre um ambiente acolhedor.

O surgimento e a popularização das doulas veio como uma forma de humanizar o momento do parto. Por esse motivo, a profissional pode estar presente independente da maneira de dar à luz que a mamãe escolheu.

Inclusive, a doula pode ser a pessoa que coloca o primeiro macacão no bebê, enquanto a mamãe se recupera do trabalho de parto.

Continue a leitura e entenda a importância da doula!

Qual é o significado de doula?

A palavra “doula” vem do grego e significa “mulher que serve”. Essa profissão — reconhecida por órgãos oficiais —, portanto, tem como função dar amparo e acolhimento para as mamães durante o parto. Além disso, algumas mulheres podem optar pelo auxílio antes e depois de dar à luz.

Muitas pessoas pensam que a doula pode participar apenas se o bebê vier ao mundo por parto normal. Contudo, a profissional pode estar presente seja qual for o tipo de parto escolhido. Isso faz parte da humanização do processo.

Qual é o valor de uma doula?

Atualmente, o valor atualizado de uma doula fica, em média, de R$ 850 a R$ 3.000 por pacote de atendimento. O preço varia conforme os serviços contratados, experiência da profissional e local do país.

Por exemplo, os pacotes mais simples envolve apenas a participação da doula no momento do parto. Em contrapartida, em alguns casos, a profissional pode auxiliar a mamãe até a elaborar a rotina do recém-nascido. Tudo isso, é claro, vai impactar no preço final do serviço.

É permitido doula no SUS?

Sim. Atualmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) fornece doulas para o suporte emocional das mulheres que darão à luz. Além disso, segundo a Lei 11.108/2005, a parturiente tem direito à presença de um acompanhante — que pode ser a doula — durante o trabalho de parto.

A presença da profissional de apoio, juntamente de um membro da família, varia conforme a região do Brasil. Como é o caso da Lei 3.367/2022, a Lei da Doula, em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul

O que a doula pode fazer?

Veja qual é o papel da doula, enquanto ela acompanha a mamãe:

1. Dar suporte emocional

A função principal de uma doula é dar suporte emocional para as mamães. Isso é feito por meio da presença contínua durante o parto. Além disso, oferece tranquilidade, carinho, palavras de suporte e encorajamento durante todo o processo.

Em certos casos, esse acolhimento acontece até mesmo durante as últimas semanas de gestação, quando a ansiedade para a chegada da criança vai aumentando cada vez mais.

2. Atuar para o conforto da mamãe

Além do amparo emocional, a doula é a responsável pelo conforto físico da gestante. Por exemplo, ela faz massagens relaxantes, ajuda em técnicas de respiração, prepara banhos e, claro, sugere posições para o trabalho de parto.

Tudo isso é feito para que a mamãe fique o mais relaxada possível e o momento do parto seja tão mágico quanto deve.

3. Oferecer suporte informativo explicando os termos médicos

Existem muitos termos técnicos que são complicados de entender, não é mesmo? Às vezes, a família se sente perdida durante os momentos próximos ao parto. Afinal, é tanta coisa para pensar que sempre uma coisinha ou outra acaba passando.

Nessa hora, a doula serve para explicar — e descomplicar — os principais termos médicos e quais serão os procedimentos que a equipe médica fará. Isso ajuda a preparar a gestante para o período da maternidade.

4. Agir como ponte entre a família e a equipe de atendimento

Outra atribuição da doula é fazer o intermédio entre a família e a equipe médica. Por exemplo, ela pode indicar profissionais específicos, fazer contatos com hospitais etc.

Sabia que, no nosso blog, você encontra vários conteúdos que te ajudarão durante a gestação? Veja nossos posts sobre gravidez e aprenda mais!

5. Dar apoio nos momentos pós-parto

No pós-parto, a profissional ajuda a mamãe no contato com o filho. Seja na hora da primeira mamada, quando o recém-nascido se alimenta do colostro, ou, até mesmo, na hora de dar o primeiro banho na criança.

Apesar disso, existem várias atividades proibidas para o exercício da profissão de doula. Continue a leitura e veja o que ela não pode fazer!

O que a doula não pode fazer?

O exercício correto da profissão de doula envolve várias obrigações. Além do apoio emocional, existem procedimentos proibidos para as mulheres que oferecem suporte para as mamães. Veja alguns deles:

1. Realizar procedimentos médicos

A doula não tem, necessariamente, uma formação superior em saúde. Por esse motivo, ela não está apta a realizar qualquer procedimento médico ou clínico como: toques vaginais, administrar medicamentos, medida de batimentos cardíacos do feto, aferir pressão etc.

Ou seja, mesmo que a doula seja uma enfermeira formada, no momento do parto, sua atribuição será apenas de suporte, não como parte integrante da equipe médica. Nesse caso, ela pode ser uma das responsáveis por escolher a roupa do bebê.

2. Questionar decisões dos médicos

Não é função da profissional de apoio questionar as decisões da equipe médica. Isso vale tanto para o obstetra quanto para o pediatra que acompanha o pré-natal.

3. Substituir outros profissionais envolvidos no parto

Uma equipe de parto tem um quadro de profissionais específico. A doula não pode, em hipótese alguma, substituir alguma dessas pessoas. Ela pode acrescentar e auxiliar na humanização do processo, desde que esteja dentro do que foi mencionado no primeiro tópico.

4. Fazer o papel de acompanhante

Quem deve ter participação ativa na hora de acolher a parturiente é o pai ou outro acompanhante escolhido pela mamãe. Caso não seja possível que a doula participe do trabalho de parto, ela deve dar as recomendações à pessoa selecionada pela gestante.

Para isso, ela deve sugerir quais as melhores ações para apoiar, dar conforto e afins. Por exemplo, ensinar técnicas de respiração e falar palavras de reforço.

5. Tomar decisões pela mãe

Quem decide o que é melhor para o bebê é a mãe. Seja em decisões básicas sobre o estilo do filho ou em situações sérias como qual tipo de parto escolher.

Nesses casos, a profissional pode recomendar algumas possibilidades. Contudo, a decisão final deve sempre ser da mamãe.

A presença de uma doula é direito da mamãe e, para isso, é preciso saber o que esperar dessa profissional. Ela é fundamental para deixar o parto mais humanizado e confortável para todos os envolvidos.

Por falar em conforto, aproveite para continuar lendo nossos conteúdos e comece a escolher as roupas divertidas para bebê!

5/5 - (Total de avaliações: 2)
Compartilhe:
Carla Bucci

Autor: Carla Bucci

Graduada em Jornalismo pela Universidade Regional de Blumenau (FURB), reside na cidade de Blumenau. É apaixonada por moda e pelo desenvolvimento de textos criativos. Para achar as melhores pautas do universo infantil, está sempre ligada nas redes sociais.

Deixe um comentário